Contato
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • RSS - Black Circle
contato@mulheresemfoco.com.br
Rua Semi-Gebara, 2-40
Bauru - SP- Brasil

Conteúdo protegido por direitos autorais.

Proibida a reprodução total ou parcial sem

autorização expressa do autor.

Copyright © 2017 

Mulheres em Foco

Redes Sociais
Destaque
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • RSS - Black Circle

Teste comportamental: autoconhecimento para profissionais de sucesso

19.05.2019

1/10
Please reload

Please reload

A luta das mulheres contra os padrões de beleza

 

Desde criança assistimos na TV mulheres brancas e magras, a publicidade reproduzindo padrões de beleza, que quando crescemos não nos encaixamos, e isso nos gera frustração e repulsa por nossos corpos.

 

Muitas mulheres passam anos lutando em busca de um corpo ideal, recorrem a dietas milagrosas, restringem o consumo de alimentos, enquanto convivem com a ansiedade, o medo, a sensação de não serem aceitas pela sociedade.

 

A analista de sistemas Carla* de 27 anos, conta que desde pequena sempre lutou contra a balança "Na adolescência eu tive distorção de imagem, como minha família sempre falava que eu estava imensa, eu acreditava nisso, hoje eu vejo fotos da época e percebo que não era gorda".

 

Carla conta que sempre teve uma relação conturbada com a mãe, que queria ter uma filha magra, porém essa pressão trouxe insegurança e falta de autoestima para a jovem. Hoje ela declara "Não faço mais dietas malucas, e estou em um processo de reeducação alimentar, mas não acho ruim ser gordinha". A paulistana ressalta que apesar de ainda ver defeitos no corpo, hoje ela se respeita.

 

              

 

A sorocabana Isabel Oliveira de 29 anos, conta as dificuldades que enfrenta no dia a dia por ser considerada fora dos padrões "O mundo não foi feito pra gordos, é muito difícil encontrar roupas para comprar, você não compra mais o que gosta e sim o que te serve, sem falar nos preços absurdos".

 

A jovem ressalta que além da pressão estética que existe para as mulheres serem magras, as empresas não se preocupam em proporcionar qualidade de vida para aqueles que pesam mais "Já passei por diversos constrangimentos em locais públicos, pois as cadeiras são pequenas e as roletas entalam".

 

É na terapia que Isabel tenta reconstruir a autoestima destruída, e ela já vem colhendo bons resultados "Tenho tentado não me importar com o que os outros falam, sei que a maioria das pessoas tem dificuldade em aceitar a si mesmo, muitas vezes, julgam e opinam, querendo se conformar, pois, às vezes me ver muito gorda é um consolo pra tentarem se aceitar um pouco gordas".

 

A história de Isabel e Carla é a mesma de milhares de mulheres, que vivem brigando com o espelho. A luta contra a balança é diária, assim com a busca pela aceitação. O importante é não deixar suas medidas definirem quem você é, investir na autoestima e valorizar suas qualidades! É mais fácil falar do que fazer, mas é preciso romper com esses padrões para ser feliz!!


*Nome fictício, pois a analista de sistemas não quis ter seu nome revelado

 Foto 1: chic.uol.com.br

 Foto 2: escrevalolaescreva.blogspot.com.br

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload